Controle de plantas daninhas em áreas de pastagem movimenta equipe técnica da australiana Nufarm

    É um projeto que muda conceitos e estreita relação entre o campo e a cidade. A avaliação do presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul, Juliano Schmaedecke, diz respeito à premiação do Concurso Agrinho 2018, realizada pelo Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, que aconteceu nessa terça-feira (04), no Clube Estoril, em Campo Grande, com a presença de mais de 450 pessoas, entre alunos, professores, representantes do interior e da Capital.

    "É o agro contribuindo diretamente com a formação intelectual dessas crianças e dando a oportunidade de conhecerem, pessoalmente, o que o setor produtivo proporciona", completa Schmaedecke.

    Para o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, o Agrinho se consagra como um dos principais Programas do Estado. "Falar em ética, respeito ao meio ambiente e diversidade é um privilégio que o Agrinho MS tem, levando conceitos sólidos para a juventude e, consequentemente, aos futuros gestores do país".

    Saito lembrou dos presidentes de sindicatos rurais. "Agradeço o empenho dos produtores rurais e o apoio na realização deste projeto nos 70 municípios do estado. Espero que esse tipo de iniciativa possa contribuir no desenvolvimento do estado", afirma.

    Pela primeira vez o tema do próximo ano foi anunciado durante a cerimônia de premiação. Mauricio Saito, que será "Tecnologia do Campo Conectada com a Cidade".

    O superintendente da Controladoria Regional da União no Estado, José Paulo Julieti Barbiere, falou dos cuidados necessários com as crianças. "A CGU trabalha muito no combate à corrupção com a fiscalização de recursos públicos. De um tempo para cá, percebemos que é preciso cuidar da cidadania e ética na formação de novos cidadãos. A Famasul e o Senar/MS têm objetivos parecidos, tendo em vista esse projeto de amplitude e resultados já atingidos".

    O chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede também participou do evento: "Nós temos alguns projetos também voltados às crianças e consideramos essencial alcançar esse público, fazendo com que compreendam a importância e o papel de tudo que se faz no agro para a sociedade brasileira. Nós reconhecemos algo muito especial nesse trabalho".

    O reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Marcelo Turine, falou da importância do investimento na educação. "É muito bom ver crianças que são o futuro do Brasil passarem a ter conhecimento sobre ética, honestidade e principalmente respeito".

    Os premiados

    "Escrevi sobre como o frigorifico de Rochedo utiliza a água. Era da mesma forma que eu pensava", afirma o 5º colocado na categoria redação, 6º ano, Rennan Lacerda Cordeiro, da Escola Estadual José Alves Quito, de Corguinho. A premiação do Concurso Agrinho,

    O aluno Wiliton Isidoro Valentim do 4º ano do ensino fundamental, ficou com a quarta colocação na categoria Redação. "Eu acho o prêmio muito importante para incentivar todos os alunos, para que continuem estudando", disse o premiado ao sinalizar que levará a medalha para os amigos da Escola Municipal José do Patrocínio, de Campo Grande.

    A professora do Wiliton, Rita de Cássia Vieira Toledo, destacou o potencial do Agrinho. "Significa um incentivo muito grande para continuar melhorando e valorizando a produção dos alunos, além da aprendizagem pela preservação do meio ambiente".

    — Agrolink

     

    Envie seu Comentário