Liberada comercialização de nova alfafa OGM

    Foi lançada para a comercialização na Argentina uma nova variedade de alfafa geneticamente modificada. De acordo com Steve Welker, diretor comercial da Forragem Genetics International (FGI), a HarvXtra foi lançada com menos lignina, que não é bem digerível pelo gado e também não é considerada uma boa fonte de alimentação.

    "Os produtores estão em um dilema: a colheita antecipada para ter uma qualidade maior, mas uma produção menor, ou esperar de 5 a 7 dias e mais produção, mas com qualidade inferior. Com o HarvXtra você tem duas opções. O primeiro é manter o cronograma normal de colheita, obtendo mais qualidade em relação às variedades convencionais. A segunda opção é atrasar a colheita entre 5 e 7 dias e obter maior produção sem perder qualidade. Por causa do menor teor de lignina, o HarvXtra mostrou uma melhora na digestibilidade de 10% em comparação com aquelas tolerantes ao Roundup e a alfafa convencional", comentou Welker.

    A HarvXtra será comercializada em 2019 com a tecnologia Roundup Ready. Welker disse que "o glifosato trabalha na maior quantidade de ervas daninhas, tem seletividade, o produto funciona em um amplo espectro de ervas daninhas e pode ser aplicado em vários momentos do tempo de cultivo".

    De acordo com Angel Pacheco, Agvance Gerente Geral, o distribuidor exclusivo HarvXtra 2019 na Argentina sob a marca Alfalfas WL, os produtores argentinos aprovaram a ideia de uma nova alfafa OGM. Além disso, falou também sobre as parcerias que foram realizadas para colocar esse projeto em prática.

    "Em toda a Argentina, onde nos reunimos com os produtores para falar sobre os benefícios de HarvXtra, vimos grande entusiasmo. Estamos muito orgulhosos de trabalhar em colaboração com FGI e Bioceres que trabalhou para obter aprovação regulamentar e garantir que os produtores empregam a tecnologia de forma responsável para plantar HarvXtra em tantos campos", conclui.

    — Agrolink

     

    Envie seu Comentário