Prêmio Visão Agro Brasil reforça confiança no segmento canavieiro

    A cerimônia de entrega do 16° Prêmio Visão Agro Brasil 2018 aconteceu na terça-feira (4), em Ribeirão Preto/SP, e reuniu cerca de 300 profissionais ligados ao setor da cana-de-açúcar, sendo que, na ocasião, 90 foram homenageados. Um dos principais eventos do calendário sucroenergético, a premiação é dividida nas categorias: Personalidades; Área Administrativa; Área Agrícola; Área Industrial; Melhores Usinas e Empresas Certificadas. "A iniciativa é uma homenagem a todos que se destacaram em 2018 com ações e iniciativas que contribuíram para o desenvolvimento do segmento canaviero", afirma Alexandre Mahal, diretor da Visão Agro, organizadora do evento.

    Na categoria Personalidades - Homens de Visão, três lideranças do segmento foram destaques: José Paulo Stupiello, presidente nacional da Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil (STAB); Manoel Ortolan, presidente da Canaoeste e Copercana e Paulo Fernando Cavalcanti de Morais, presidente do Grupo Japungu, na ocasião, representado por Paulo Antonio Cavalcanti de Morais, diretor da CRV Agroindustrial.

    "O prêmio é um incentivo para a gente continuar a lutar pelo setor, este que deverá ter uma recuperação no próximo ano", disse Stupiello, uma referência do segmento sucroenergético, o qual defende e trabalha há mais de cinco décadas, à frente da STAB, entidade que promove o intercâmbio científico, técnico e cultural entre as diversas regiões produtoras de cana do Brasil e do exterior.

    Opinião compartilhada com Ortolan. "É um estímulo para continuar trabalhando com empenho e dedicação, além disso, é um momento de confraternização, de interação com todas as cadeias do setor", disse. Segundo ele, 2018 foi um bom ano para a Canaoeste e Copercana, premiadas como Destaque Associação Representativa dos Plantadores de Cana e Destaque Cooperativismo, respectivamente. "Implantamos um sistema de monitoramento de queimadas por satélite que funcionou muito bem. Agora adquirimos um drone que ajudará na avaliação das queimadas, como também, para verificar falhas na soqueira e doenças e pragas, possibilitando uma correção mais ágil", comentou.

    No caso da Copercana, a cooperativa terá um faturamento maior do que o registrado no ano passado, contabilizando novas inaugurações de lojas, supermercados e postos de combustíveis, como também, a compra de imóveis. "Recentemente, adquirimos por leilão um galpão da Smar Equipamentos Industriais e foi um negócio muito bom para a cooperativa, pois poderá se transformar em um centro de distribuição dos supermercados, já que estamos usando atualmente uma área alugada", contou.

    Morais reforçou a relevância da premiação. "É um reconhecimento ao meu pai pelos 60 anos dedicados à cana-de-açúcar e também para aqueles que lutam pelo crescimento do setor", afirmou. A companhia vem crescendo nos últimos anos, tendo seis unidades no país, duas em Santa Rita, área metropolitana de João Pessoa, na Paraíba (Japungu Agroindustrial e Agroval), três em Goiás (CRV, em Carmo do Rio Verde, Rubiataba, em Rubiataba e a Uruaçu Açúcar e Álcool, em Uruaçu) e a CRV Minas, antiga Usina Vale do Paranaíba localizada em Capinópolis/MG, que foi adquirida por mais de R$ 206 milhões em leilão, no final de 2017. A usina pertencia à Massa Falida da Laginha Agroindustrial S/A, do Grupo João Lyra.

    Empresas vislumbram novas oportunidades para o setor

    A Fenasucro&Agrocana, principal feira do mundo dedicada ao setor sucroenergético, foi destaque como Feira e Eventos. Para Paulo Montabone diretor da Reed Alcântara Machado, promotora da feira, a homenagem é uma contribuição para que o setor seja cada vez mais pujante. "É uma honra receber esse prêmio pela Fenasucro&Agrocana, tendo em vista que as maiores personalidades do segmento canavieiro são destacadas nesta premiação. É o reconhecimento das nossas funções para o desenvolvimento de um setor que só tem a engrandecer o nosso país", afirmou.

    O executivo ressaltou que a feira reúne a cadeia produtiva da cana-de-açúcar e representantes de todas as usinas do Brasil com alto poder de compra e de decisão. "Somos a maior plataforma do mundo em soluções e alternativas para maior eficiência do setor e estamos preparando uma edição com uma nova modelagem para o ano que vem, criando um espaço dedicado ao etanol de milho, vertente que vem crescendo e dando novas oportunidades ao setor sucroenergétcico", afirmou.

    Uma oportunidade também vislumbrada pela Cerradinho Bioenergia S.A, vencedora nas categorias Destaque: Geração e Cogeração de Energia e Destaque: Investimento e Ampliações. A companhia irá inaugura em outubro de 2019 uma planta produtora de etanol de milho, em Chapadão do Céu/GO, ao lado da sua unidade produtora de etanol a partir da cana, aproveitando assim a sinergia entre as operações com a utilização de energia e vapor, somada a toda a infraestrutura e conhecimento do ambiente de produção.

    O investimento de R$ 280 milhões viabilizará a produção de 230 milhões de litros de etanol e 170 mil de DDGs (Dried Distillers Grains with Solubles) a partir do processamento de 550 mil toneladas de milho, matéria-prima que deverá ser adquirida no mercado. A planta, que começou a ser construída este ano, vai gerar cerca de mil empregos até ser concluída e cerca de 80 vagas serão criadas para manter as operações após sua conclusão.

    "Estamos em um ritmo de crescimento importante e a empresa está bem, por isso é importante receber este prêmio neste momento. É o coroamento de uma boa gestão, de uma boa governança", disse Luciano Sanches Fernandes, presidente do Conselho Administrativo da Companhia, laureado como Destaque Melhores Gestores.

    "Reunimos nesta 16ª edição do prêmio muitas histórias de sucesso, pessoas empenhadas em contribuir para o desenvolvimento do setor sucroenergético e empresas que investem cada vez mais, gerando emprego e renda. É essa a missão desta premiação, dar visibilidade a quem ajuda o Brasil a ser melhor e pioneiro em vários setores. A esperança de um novo tempo reinou neste evento e é isso que queremos para toda a cadeia da cana-de-açúcar, um novo tempo, auspicioso, produtivo e rentável", finaliza Alex Ramos, presidente do Grupo Visão.

    Prêmio Visão Agro Brasil

    Criado em 2003, pelo jornalista Alex Ramos, o Prêmio Visão Agro Brasil tornou-se um dos principais eventos sociais do setor agroindustrial nacional da cana-de-açúcar, reconhecendo pessoas, empresas e instituições que vêm ajudando a estabelecer os padrões de Qualidade e Competitividade deste que é um dos principais segmentos econômicos do país. Ao longo de suas últimas edições (às quais se somou à edição Centro-Sul, a partir de 2007, intitulado Visão Agro - Centro-Sul), o evento foi prestigiado por um público qualificado, tendo homenageado cerca de 840 empresas e 246 de personalidades do setor sucroenergético.

    — Agrolink

     

    Envie seu Comentário