Proibida entrada de bitrens em Concepición

    O Paraguai acaba de negar a permissão para ingresso de caminhões bitrens para descarregar em Concepción. De acordo com o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, essa era uma das alternativas mais escolhidas pelos brasileiros para o escoamento da produção.

    "Uma das alternativas de escoamento da safra de soja do Mato Grosso do Sul seria utilizando as barcaças do Rio Paraguai a partir do porto fluvial de Concepción, no Paraguai. A maioria feita por caminhões bitrens. A alternativa ainda existe, mas o governo paraguaio, através do seu Ministério de Obras Públicas, MOPC, negou autorização para caminhões "bitrens" brasileiros adentrem no país, sob a alegação de que destruirão as rodovias", informa.

    No entanto, Pacheco lembra que os governos de Brasil e Paraguai haviam firmado uma parceria para que os caminhoneiros brasileiros pudessem chegar até o porto para escoar a produção. Além disso, muitos órgãos ligados a esse setor dizem que a decisão pode ser considerada como um retrocesso, já que irá limitar a venda da produção dos países vizinhos e também prejudicar relações.

    "A alegação é um retrocesso, segundo o titular da Associación de Comerciantes e Industriales de Concepción, ACIC, Rodrigo Fleitas, em reportagem ao jornal ABC. A decisão do Ministério não levou em consideração uma Resolução anterior que permitia de forma experimental a circulação de transporte de carga denominada bitrem, segundo um acordo entre Paraguai e Brasil. Houve um investimento milionário de uma empresa no porto de Concepción, à espera dos grãos do estado brasileiro do Mato Grosso do Sul", finaliza Pacheco.

    — Agrolink

     

    Envie seu Comentário